Madalena, ele e a paisagem dentro da janela

 

Ele era suave como a lua que quietinha fazia o maior alarde no céu. Foi fatal para Madalena cujos cabelos ao vento, gostava de enroscar-se naquelas mãos suaves dele. O moço das estrelas tinha no olhar a serenidade dos furacões. Madalena respirou aquele beijo nos olhos como se fossem únicos e em despedida.

Não havia sol. Nem nuvens onde pudesse comportar aquilo. Cada sentimento era uma pedrinha que Madalena acalentava nas mãos. Mãos que o seguraram, olhos que não conseguiram ver. Precisaria de tempo para compor aquela paisagem e amá-lo para sempre enquanto a poesia o deixasse ser.

Madalena estava repleta. O coração embalado nas mãos possuia a voz de Caetano Veloso. O que daria ela àquele ser tão especial em troca daquela tempestade? 

Iria embora. 

Mas ficou ali com ele por todo o tempo em que se sentiu só. Dele.

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]